Liga dos Campeões [Playoffs]: Rei Artur Salva Benfica


Benfica repete resultado de Barcelos e empata a 2 com o Twente.

O Benfica entrou no jogo com grandes dificuldades e sofre um golo logo aos 6 minutos, por Luuk De Jong. Antes Gaitan teve um lance de ressaltos e por pouco não marcava. Mais uma vez o Benfica a dar espaços na joga central do Meio Campo e Jong com um remate colocado abre o marcador.
Com maior ou menor rapidez, em lances mais ou menos trabalhados, o Benfica foi-se aproximando da área de Mihaylov até que chegou ao empate. Oscar Cardozo mostrou porque é considerado um goleador e com um grande remate de longe faz o empate aos 21 minutos. Pouco depois o suspeito do costume, Nolito, concluiu da melhor forma um excelente lance de futebol que envolveu ainda Cardozo, Gaitán e o último passe de Witsel, para o 2 a -1. Estava feita a reviravolta ao intervalo.

Na segunda parte assistiu-se um pouco ao que se passou em Barcelos, com um Benfica pragmático, sem grande velocidade e sobretudo a tentar suster o 2-1, apenas com alguns lances de perigo que poderiam dar o 3-1, mas a finalização não foi a melhor. Nesta fase o Twente criou muito perigo, balanceou-se no ataque e foi nesta fase também que Artur brilhou. Aos 59', aos 68', aos 70' e 72 minutos, especialmente, emergia um autêntico «Rei» Artur a travar todas as bolas de golo dos atacantes e médios holandeses. O Benfica preenchia o meio campo com Ruben Amorim, mas num lance e que se reclama falta, Ruiz marca, parecendo empurrar Emerson aquando do cabeceamento. Chegava assim ao empate o Twente, resultado que não mais mudou.

O Benfica fica assim com a eliminatória na mão, bastando empatar a zero em casa.

Destaques para Artur e Nolito, já começam a ser habituais destaques, um com enormes defesas, outro pelos desequilíbrios que faz.  

Táctica e Onze:
O  Benfica voltou ao 4-5-1, com Aimar a ajudar Javi e Witsel quando necessário defender e ajudar Cardozo quando a atacar. Aimar serve sempre de elo de transições ofensivas, oferecendo sempre uma linha de passe para os seus companheiros. Apesar de não ter o domínio de jogo como pretendia, o Benfica em termos ofensivos, demonstra já um bom nível de entendimento, já a defender e principalmente no meio campo, demonstra alguns défices, com a zona entre os defesas e o médio mais defensivo a ficar muitas vezes vazia. Jorge Jesus terá de melhorar o posicionamento dos seus jogadores nesta matéria. Os centrais também já demonstram bom entendimento. Gaitan teve algumas dificulades em acompanhar o defesa esquerdo do Twente, ficando Maxi Pereira muitas vezes com 2 jogadores pela frente; Javi vê-se obrigado a ajudar, e a zona media defensiva fica menos resguardada. Algum trabalho para Jesus afinar este esquema, que é novo para o Benfica deste ano.
Golos [Resumo]: 

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Oficial: Diego Reyes é reforço do FC Porto